Páginas

11 de fev de 2013

Resenha - Eu, meu pai e meus outros amores

Eu, meu pai e meus outros amores
Autora: Lilian Reis
N° de páginas: 318 páginas
Editora: Novo Século/Novos Talentos




Em um terrível acidente automobilístico, Jade perde a mãe e o padrasto que tanto amava e fica em coma por quase um mês. A partir daí sua vida muda completamente, ela vai para o interior mineiro morar com seu pai, a madrasta, e seus filhos, Eduardo (Duke) e Frederico (Fred).

"Minha vida tomou outro rumo, e agora sou obrigada a conviver com pessoas estranhas e com um bando de empregados me servindo o tempo todo, sorrindo e fingindo que se importam comigo." -  Página 61

Jade, menina cheia de querer, mimada, teimosa, não cede, não aceitando o inevitável, trata com grosseria a todos que só tentam ajuda-la. Mas é como se diz: - Quem não aprende pelo amor, aprende pela dor.

E Jade depois de tanto chorar e muito negar, acaba amadurecendo e vindo a gostar da nova vida. O destino deu a ela a oportunidade de conhecer o outro lado da moeda, já que desprezava o pai por tê-las abandonado quando ainda era bem pequena. O amor pelo pai Bernardo que andava adormecido, desperta com muita força. Até que.....

Tanto Duke quanto Fred são encantadores, maravilhosos, bons moços e de gênios bem diferentes. Duke é extrovertido, brincalhão e amoroso, já Fred é o oposto, e desperta em Jade sentimentos até então desconhecidos.

Como sou do meio rural, bem sei o que passa uma adolescente moderninha, que de uma hora para outra vai morar na fazenda, deixando todo o modernismo da grande metrópole para trás, e conhecendo ambientes, paisagens encantadoras , descritas de forma tão linda.

O livro é bem claro, não deixa lacunas para serem preenchidas, cada personagem tem sua narrativa, são de carne e osso, comuns, gente iguais a nós, que choram, riem, são sensíveis e cativantes, dando um ar de mistério, parecendo um anjo protetor. A capa é maravilhosa, um sol ardente e limpo, sem poluição, onde ainda se deita na grama para namorar, as letras são de bom tamanho, as páginas amareladas, ótima escolha pois proporciona mais conforto visual para se ler horas a fio, a linguagem jovem e divertida, uma leitura fácil e rápida.

A Lilian, deixa uma mensagem linda, do valor da família, não importando como ela é constituída, a família de amor, dor, compreensão, deixa também uma vontade enorme na gente de dizer aos familiares o amor que temos por eles, antes que seja tarde demais. A aprender a se adaptar a outros modos de vida jamais sonhados, deixando de nadar contra a correnteza.

"Houve um tempo eu que eu era um homem e ela,
Uma mulher, mas nosso amor cresceu até não existir
Mais nem ela nem eu. Lembro-me apenas vagamente
Que antes éramos dois e que o amor, intrometendo- se,
Nos tornou um só." (Poema persa).página 300.

Já espero pela continuação, tomando partido, sonhando com a descoberta do amor da mulher Jade pelo fofíssimo Duke.

Amei o livro.
Sandra Alvarenga

4 comentários:

  1. Que maravilha de resenha! Amei sensacional. Sandra me fez sentir orgulho da história que escrevi e sei que pode ajudar muitos adolescentes. Beijos amiga querida. Muito obrigada... E coloca esses meninos e meninas aí de Pratinha para ler a história. Rsrsr

    ResponderExcluir
  2. Belissima Resenha , sou meio suspeito por amar esse livro e a autora...rs

    Ahh, amei o blog, gostei de conhece-lo e já estou seguindo ele caso possa fazer o mesmo agradeço..sempre estarei por aqui...

    www.saotantas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. ahhh que linda resenha!Você escreve beem!adorei seu blog e nome super criativo!

    http://diariodeumasonhadora2.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. ADOREI ,terá continuação ?

    ResponderExcluir