Páginas

25 de fev de 2015

Resenha - Páginas de uma História

Páginas de uma História
Autor (a): Lilian Reis
Título Original: Páginas de uma História
ISBN: 9788591751204
Editora: LARR
Ano: 2014
Número de páginas: 262
Sinopse: E se algo inesperado mudasse todas as suas convicções? Após se casarem, irresponsavelmente, Sara e Victor não se adaptam. Ele, empresário bem sucedido, agnóstico, arrogante, orgulhoso, não apreende o conceito “viver a dois”, e, aos poucos, despreza a mulher. A jovem psicóloga, infeliz e depressiva, por não conseguir lidar com os problemas alheios, sem se envolver, decide abandonar a promissora carreira e encontra na escrita sua verdadeira vocação. Entretanto, ao atingir o sucesso com seus livros, desperta o interesse da imprensa local, sobretudo, do marido que se sente ameaçado e começa a sentir ciúme doentio, mas por orgulho, passa a ignorá-la ainda mais... Por fim, cansada de tentar reerguer seu casamento, Sara toma uma decisão que a colocará numa situação de extremo perigo... Ao chegar em casa depois de um telefone emocionado da mulher, Victor percebe que ela partiu. Reconhece que não pode viver sem ela e resolve ir buscá-la. Contudo, algo inesperado acontece e causa uma reviravolta ainda maior... Descubra nesse romance envolvente, como o ciúme, a impaciência, a intolerância, o egocentrismo, a traição e até mesmo o amor exacerbado, levam o casal a uma crise de proporções enormes. Será que o amor superará mediante tantos problemas? Mergulhe nas páginas dessa história e se emocione.


"O amor é sempre paciente e generoso,
nunca é invejoso;
O amor nunca é prepotente nem orgulhoso;
não é rude nem egoísta;
Não se ofende nem se ressente do mal;
não se alegra do pecado alheio;
Mas se regozija com a verdade,
e tudo perdoa tudo crê,
tudo espera e tudo suporta".
Coríntios 13.4-7 

Me apaixonei pelo romance Páginas de uma História, a autora descreve uma jovem senhora com poucos meses de casada mas carregando uma desilusão do tamanho do mundo, trazendo muita mágoa e sofrimento. Sara, poderia ter qualquer nome, pois a identifiquei com milhares de mulheres sofrendo a solidão de um casamento naufragando e amando profundamente seu parceiro, homem egoísta e às vezes cruel, lindo de morrer. Sonhadora e talentosa a autora transfere para as páginas de seus livros todos os sonhos ainda não vividos.

Sara vai se anulando aos poucos como mulher e profissional. Deixa de exercer a profissão de psicóloga e passa a se dedicar a escrever romances que é sua paixão, mas nada do que faz satisfaz seu marido Victor, ciumento e machista, ele se dedica exclusivamente a suas academias de ginásticas, é vaidoso e quer crescer nos negócios não se dando conta do mal que anda causando, só que tem um detalhe... Ele é apaixonadíssimo pela mulher e pode por tudo a perder por bobagens e imaturidade.

Depois de idas e vindas Sara desiste, não suporta mais a situação, vai para a casa no campo de sua avó onde reencontra o lindo e cruel Caio, sofre horrores em suas mãos e em momento algum perde sua fé inabalável em Deus.
Sara tem como amigas Anna e Luíza, amizade dos tempos de faculdade e cultivada com muito carinho, são mais que amigas...

Anna tem um filho pequeno que aos poucos vamos descobrindo seu segredo e é através deste segredo teremos um milagre acontecendo. Anna morre e cabe a Victor cuidar do pequeno Ben.

Tudo acontece em Porto Alegre.  Achei fantástico o carinho e respeito da autora. Uma mineira (UAI) fazendo um trabalho de pesquisa primoroso, citando locais e a cultura gaúcha, que deu até para sentir o friozinho.  A generosidade a cada mudança de capitulo, nós leitores, somos brindados com citações de autores e pensadores.

Folhas amareladas facilitando a leitura a noite, letras de bom tamanho e a diagramação perfeita, a capa maravilhosa da talentosa Adriana Brazil, condizente com a história.

Gostaria muito de saber como escrever uma resenha a altura do romance, peço desculpas a Lilian Reis pela ousadia de querer transmitir em poucas palavras o que senti. Não sou resenhista, mas sou leitora e sei apreciar o que é bom. Obrigada por nos brindar com tão lindo romance...

Eu li, amei e recomendo!

“O amor que pediu para dizer pra quantas pessoas eu pudesse, que amar é viver, é sorrir e sonhar. Por isso ame. Ame sem medo de sofrer. Ame sem medo de ser feliz! Pois na vida tudo passa, principalmente o tempo. E um dia você poderá olhar para trás e chorar por não ter tido um grande amor, não ter lutado ou feito uma loucura por alguém, ou sorrirá de felicidade por ter um grande e eterno amor; mesmo que não esteja mais do seu lado, mas que um dia te fez feliz e você também o tenha feito.” (Josy Rodrigues)

Um comentário:

  1. Sem palavras para agradecer o seu carinho, Sandra. Adorei a resenha e você escreve muito bem, sim, com o coração. Obrigada minha querida, saiba que os queridinhos de Pratinha logo terão mais duas obra chiclit para apreciar. Assim que publicá-las fique certa de que vão para a biblioteca da vovó, também. Beijaummmm! Lilian.

    ResponderExcluir